A CORDA COM 7 NÓS E A CORDA DE 81 NÓS

Excertos do livro O qe um Aprendiz Maçom deve saber – Irm.’. Almir Sant’Anna Cruz

Uma Corda com 7 Nós ou laços, emoldura o Painel do Rito Escocês Antigo e Aceito de origem francesa e diversos autores nacionais apresentaram inúmeras explicações sobre o seu simbolismo, entre os quais a de que representaria a Corda de 81 Nós; que os 7 nós alude às 7 Artes e Ciências Liberais que o Maçom deve estudar e ainda a de que simbolizaria os segredos que envolvem nossos mistérios, posto que o número 7 está associado à Perfeição. São apenas divagações sem o menor sentido.

Considerando-se que o Painel tem origem francesa, é em autores franceses que devemos pesquisar o seu real significado.


Pois esses autores (Boucher, Papus, Plantageneta, Ragon, Villaume, Wirth, entre outros) são unânimes em afirmar que a Corda de 7 Nós ou “laços de amor” e terminada com uma borla em cada extremidade, substitui a Orla Denteada presente no Painel de origem inglesa e representa a união fraternal que liga todos os Maçons do mundo, sem distinções de qualquer natureza, por uma cadeia indissolúvel, é uma reprodução material da Cadeia de União.

Na ornamentação dos Templos Maçônicos está presente um grande cordão que corre pela frisa, formando de distância em distância 81 nós emblemáticos, e terminando por duas borlas pendentes em cada lado da porta de entrada. É a Corda de 81 Nós.

Como já estudamos, uma Corda com 7 Nós emoldura o Painel de origem francesa do Grau de Aprendiz e podemos aqui adiantar que nos Painéis do Grau de Companheiro a Corda se apresenta com 9 ou 3 Nós.


Essa Corda de 7 Nós, como vimos, substitui a Orla Denteada e simboliza a Cadeia de União, o profundo sentimento de indissolúvel união fraterna com que estão ligados todos os Maçons, não importando suas aparentes diferenças.

E a Corda de 81 Nós?


Para alguns autores nacionais ela possui o mesmo simbolismo da Corda de 7 Nós.


Para outros, ela representa os 81 meses de interstício que a Constituição de 1762 do Rito Escocês Antigo e Aceito fixou como tempo mínimo necessário para que o Maçom escalonasse todos os Graus de sua hierarquia, na época ainda com 25 Graus (os atuais 33 só foram fixados na Constituição de 1786, atribuída falsamente a Frederico II, rei da Prússia). Constava no final do artigo segundo:

“Todos esses Graus reunidos, nos quais um Irmão só poderá ser iniciado em um número misterioso de meses para alcançar cada Grau sucessivamente, compõem o número 81 meses …”

Porém na literatura maçônica estrangeira a Corda de 81 Nós não é mencionada por nenhum autor, nos levando a concluir que é uma invenção exclusivamente brasileira, uma “adaptação” da Corda de 7 Nós.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta