Bem informar, para bem escolher!

 
Share Button

A Maçonaria escolhe homens de bem, livres e de bons costumes, amantes da liberdade e legionários da razão e faz deles ainda melhores!

Graças ao prestígio que tem desfrutado em todos os períodos de sua história, a Ordem Maçônica tem sido sempre um imã que atrai numerosos candidatos à Iniciação.

Aos não-Maçons, denominados “profanos” (em Maçonaria aquele que não foi Iniciado Maçom), oferecemos uma idéia mais ou menos aproximada, desta grande Instituição e, principalmente, aos que nela pretendem ingressar. Objetivamos proporcionar-lhes uma antevisão do terreno em que poderão vir a pisar e da trilha que, obviamente, terão de seguir.

Objetivo da Maçonaria – O objetivo inicial da Maçonaria tem sido o de tornar a Fraternidade Maçônica “um centro de União e o meio de conciliar, por uma amizade sincera, pessoas que, sem ela, não se conheceriam”.

Um escritor francês, em poucas palavras, descreve esta faceta, aliás, a mais importante da Maçonaria: “Durante muito tempo ainda, haverá lugar para uma instituição dizendo aos homens: nada quero ter em comum com vossas desavenças, aos que virão a mim ensinarei o bom senso e a moderação, nas horas que passarão em meus templos, obrigá-los-ei a calar as suas dissensões e a se tratarem como Irmãos. E na plenitude de sua liberdade!

Outro escritor define a Maçonaria nestas poucas palavras: “A Maçonaria é uma associação de idealistas autênticos. Compõe-se de homens de boa vontade, bem intencionados, dotados de sentimentos de solidariedade humana. Os que quiserem ingressar em seu meio devem possuir espírito de bem servir”.

O Irmão Henri Dubois, dirigindo-se aos candidatos, prossegue: “Mas se vos perguntardes o que isto há de render ao bolso ou para as eleições, então, não, não deveis entrar e se entrastes por erro, rápido, parti! Se possuíres opiniões que vos dominam antes de serem dominadas por vós, se tendes propensões demasiadamente vivas para vos tornardes o censor dos outros, ou se não tiverdes para vós mesmo o orgulho de vossa independência em tudo o que se referir a vossa pessoa, à educação dos vossos filhos, aos atos de vossa vida religiosa, cívica ou de família, jamais tereis o caráter de um Maçom, jamais compreendereis os que o têm. Então não vindes. Se deveis dedicar todo o vosso tempo e recursos a vossa família, nada furteis a um dever quer prevalece sobre os demais. Mas tampouco formai ilusões! Não vos deixeis levar pela idéia de que deveis fazer sacrifícios pela humanidade, para o progresso e o resto. Não entreis para a Maçonaria salvo se o desejardes por vós mesmos. Os Maçons por certo têm o dever de assegurar a perenidade da Ordem, mas não é o número que importa.

Na verdade, a Maçonaria é a única sociedade com possibilidades de satisfazer plenamente a um homem generoso, idealista e progressista, pela razão que possui todos os elementos capazes de ajudar os homens na senda do aperfeiçoamento. Isto não significa, porém que todos os Maçons se esforcem neste sentido, objetivo principal da Ordem. É preciso contar, obviamente, com aqueles que entraram na Instituição no intuito de “explorar os Sinais, Toques e Palavras”.

Se você ingressar na Maçonaria e, encontrando algum deles, se sentir desanimado e desiludido, é melhor não continuar. A Maçonaria necessita de homens fortes, dignos deste nome e capazes de empunhar o facho que nos legaram os nossos antecessores conduzindo-o a meta final. De que lhe podem servir homens fracos, pusilânimes e comodistas a debandar na primeira contrariedade Prefere poucos Maçons a muitos “Profanos de Avental”.

Requisitos para ingresso – Para conseguir ingresso na Maçonaria, o que se faz por meio da Cerimônia da Iniciação em Loja, um candidato deve possuir certos requisitos mínimos sem os quais não poderá ser admitido:

a) – ser maior de vinte e um anos e do sexo masculino;
b) – estar em pleno gozo da capacidade civil;
c) – ter bons costumes e reputação ilibada, apurada em rigorosa investigação, que abranja seu presente e seu passado;
d ) – possuir instrução de nível primário completo, no mínimo, ou equivalente e seja capaz de compreender, aplicar e difundir os ideais da Instituição;
e) – ter profissão ou meio de vida lícito;
f) – não professar ideologia que se oponha aos princípios maçônicos;
g) – ser fisicamente sadio, não apresentando defeito físico ou moléstia que o impeça de cumprir os futuros deveres maçônicos ou que o incapacite para a vida social, devidamente comprovado por atestado de sanidade física e mental, com firma reconhecida;
h) – aceitar a existência de um princípio criador: o Grande Arquiteto do Universo.

Para ingressar na Maçonaria é preciso que o candidato esteja civilmente emancipado. O candidato não desfruta somente de bom conceito, como será livre. Livre quer dizer dispor de sua própria pessoa. Isenção de paixões e preconceitos é indispensável para a compreensão dos superiores ensinamentos da Maçonaria.

Também se dá atenção a uma certa independência econômica, pois as atividades das Lojas exigem de seus membros contribuições em dinheiro. Estas contribuições não são, no entanto, tão elevadas que qualquer pessoa, exercendo qualquer atividade profissional remunerada, não possa dar conta das mesmas. A Maçonaria não é uma organização capitalista. Ela é uma Ordem Fraternal. A participação do operário, do elemento da classe média, como do milionário, tem para ela o mesmo valor.

Os inadaptados – ao indicar o elemento que é conveniente afastar da Maçonaria, outro escritor traz a sua colaboração dizendo: “Deveriam ser afastados da Maçonaria os sectários cuja mentalidade acha-se em oposição formal com os princípios fundamentais de nossa Instituição; os pretensiosos ; os egoístas que praticam a Fraternidade “em sentido único”, os ambiciosos necessitados de encontrar na Loja apoio, clientes, cabos eleitorais (de acordo com o seu modo de atividade profissional ou extra-profissional); os imbecis que são um peso morto a arrastar, e enfim os astuciosos decididos a explorar sob todas as formas possíveis, o altruísmo dos verdadeiros Maçons.

Farol luminoso – Ao admitir em seu seio homens de todas as religiões, de todas as nacionalidades, de todas as raças, de todos os partidos, a Maçonaria deu ao homem o exemplo da mais ampla tolerância, um ideal de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Ela se constituiu, desta forma, em cimento que pode unir homens das índoles mais díspares, das classes mais diversas, e das regiões mais afastadas. Acima das religiões, dos partidos, das classes e das raças, a Maçonaria teve o grande mérito de fazer com que os homens se estendessem a mão por onde se encontrassem e se chamassem Irmãos.

Maçonaria é um farol luminoso que pode esclarecer e iluminar a humanidade sofredora. A sua razão de ser é, ao contrário do que pensam os que não a compreenderam, tentar unir e harmonizar os homens. A sua finalidade é demonstrar-lhes que o EGOÍSMO é a fonte de todos os males e que não chegarão à salvação sem o calor da FRATERNIDADE e do AMOR.

Procuramos nestas páginas de maneira simples, mostrar quem a Maçonaria busca para os seus quadros de Obreiros e o que é necessário para dela fazer parte.

Valdemar Sansão – M.’. M.’.
vsansao@uol.com.br

Fonte de consultas:

a) “UMA RADIOSCOPIA DA MAÇONARIA” – Nicola Aslan (Edit. A Trolha).
b) – “O DESPERTAR PARA A VIDA MAÇÔNICA” – Valdemar Sansão (Editora “A Trolha”).
c) “VOCÊ QUER SER MAÇOM?” Cartilha em elaboração (Valdemar Sansão).

A Maçonaria é uma Instituição humanitária e sublime que exalta tudo o que une e repudia a tudo que divide, porque aspira fazer da Humanidade uma grande família de Irmãos

Cofundador e Administrador do Portal Brasil Maçom, Administrador da Loja Virtual Atelier do Maçom, Mestre Maçom Iniciado na ARLS Cidade de Vila Velha 89, Jurisdicionada à Grande Loja Maçônica do Estado do Espírito Santo (GLMEES), Designer, Programador e Desenvolvedor .NET de Sistemas WEB.

Deixe uma resposta