FATOS DESTAQUES, CULTURA, REFLEXÃO MAÇONICA, COMEMORAÇÕES E FATOS HISTÓRICOS PARA 16 FEVEREIRO

 
Share Button

FATOS MAÇÔNICOS PARA O DIA 16 DE FEVEREIRO

1822- Em 16 de fevereiro de 1822, Ir.’. Joaquim Gonçalves Ledo é nomeado Conselheiro e Secretário de Estado e, aos 30 de abril, novo exemplar do Revérbero Constitucional é lançado, elogiando Dom Pedro e clamando pela independência.

1830 – Fundada a Loja Maçônica “Firme União”, hoje “Fraternidade Campista”, a primeira em Campos e quinta no Brasil

1847 Nascimento do Ir.´. Charles Webster Leadbeater (Londres, Inglaterra, e faleceu em Perth,Austrália, 1º de março de 1934), foi sacerdote da Igreja Anglicana e Bispo da Igreja Católica Liberal, escritor, orador, maçom e uma das mais influentes personalidades da Sociedade Teosófica.

1858 – Joaquim Pereira de Macedo 1º Grão Mestre Adjunto do Grande Oriente e Supremo Conselho do Paraná.
Nasceu em Porto de Cima no dia 16 de fevereiro de 1858. Era filho do comerciante Manoel Ribeiro de Macedo e Francisca Pereira de Paula Macedo.
Possuidor de um espírito empreendedor, desenvolveu a indústria do erva-mate e do trigo, sendo que o seu moinho era o único na região naquela época.

Exerceu os cargos de superintendente do ensino e Porto de Cima; coronel comandante superior da Guarda Nacional da Palmeira, cuja nomeação foi feita pela princesa Izabel – então regente do trono; delegado de Polícia; vice-presidente e presidente da Intendência da Palmeira; deputado estadual, sendo reeleito e tendo ocupado a cadeira de presidente; camarista (Dic. Michaelis: Vereador municipal) e prefeito de Curitiba por duas vezes.
Como prefeito, conseguiu em pouco tempo levantar o crédito do município. Mesmo um incêndio em sua propriedade não foi o bastante para derrubá-lo. Conseguiu se reerguer, e chegou a mandar para o estudo os filhos que quiseram.

1923 O Grande Conselho Fascista deflagra violentas perseguições ao
Grande Oriente da Itália que acabaria fechando em 1925.

1939 – A fusão deu-se no dia 16 de fevereiro de 1939 – O Resp.´. Mest.´.( V.´. M.´. ) transformou a sess.´. para Mag.´. e “fez entrega ao Ir.´. Orad.´. solicitando que a lê-se para conhecimento dos presentes a Ata da sessão de fusão das LLoj.´.”Acácia Paranaense”, “Giuseppe Garibaldi” e “Unione e Fratellanza”, realizada no Temp.´. desta ultima, no dia dezesseis de mes de fevereiro findo. Cuja ata depois de lida pelo Ir.´. Orad.´. foi posta em aprovação tendo sido aprovada por unanimidade de votos conforme fora anunciado pelo Mest.´. de CCer.´.. Bem assim, ficam tambem aprovado por unanimidade de votos que, os graus, titulos honoríficos e de benemerência, e de outras regalias conferidos aos IIr.´. das LLoj.´. em fuzão, serão mantidos e respeitados na nova Loja “Dario Vellozo”, não havendo no caso solução de continuidade.”
( Livro Atas nº 13 pág. 178 da Loja Acácia Paranaense nº 0.715)

1963 Fundação da Grande Loja de Brasília.

1989 Fundação da ARLS Templários de Vinhedo nº 355 Vinhedo/SP Segundas Feiras às 20:00hs.

1989 – FUNDAÇÃO da Loja Maçônica AQUARIUS no. 233 – Oriente de BELO HORIZONTE MG. Obediência: G L M M G – Federada à CSMB – Reunião: Quinta-Feira – Rito: REAA.

1992 – Faleceu o ex-presidente da República Ir.’. Jânio Quadros, que ficara famoso por ter renunciado ao mandato 6 meses após sua posse, em 1961.

Fonte:Grande Secretaria Geral de Educação e Cultura/GOU
Grande Oriente Universal

CULTURA MAÇÔNICA

O GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO
Sempre que se fala em maçonaria, um termo é recorrente: O Grande Arquiteto do Universo, ou G.´.A.´.D.´.U.´. (a forma abreviada mais comum). Em quase todas as obras maçônicas e também na maioria das citações ou reportagens, há referências a esta expressão. Mas o que muitos leigos se perguntam sempre é: o que, ou quem é, exatamente, este Grande Arquiteto? Qual o real significado desta denominação?
Respondendo objetivamente, e de maneira simplificada, afirmamos: o GADU é a maneira pela qual os maçons se referem a Deus.

E a razão é simples: sendo a maçonaria uma instituição que teve origem histórica nas corporações de construtores medievais – que eram formadas por arquitetos, engenheiros, artesãos, pedreiros e outros profissionais ligados à área da construção civil e militar – e, ainda nos nossos dias, valer-se de instrumentos daqueles ofícios como ícones simbólicos (o compasso e o esquadro, por exemplo), nada mais natural que denomine o projetista ou construtor de tudo o que existe como O Grande Arquiteto do Universo. Denominações adicionais para o Criador como O Grande Arquiteto dos Mundos ou O Grande Geômetra são encontradas em alguns livros maçônicos, todas com o mesmo significado.

Ampliando o escopo deste artigo, consideramos importante esclarecer brevemente o conceito de Deus na maçonaria. A imagem eternizada por Michelangelo na Capela Sistina – a de um ancião de cabelos brancos, adotada como representação costumeira de Deus por grande parcela da civilização ocidental – ainda que enquanto obra de arte seja belíssima, não é suficiente para a compreensão da onipotência, onipresença e onisciência divinas. Em verdade, ousaríamos dizer que é, de fato, inapropriada. Ora, qualquer que seja o ser, se este for limitado por uma forma, não pode ter tais características. Portanto, seguindo este raciocínio, concluímos que a imagem de Deus como um velho senhor sentado em um trono de nuvens é apenas o retrato humanizado do pensamento de uma época, não devendo ser levado em conta para uma reflexão mais aprofundada. Deus é o amor infinito, a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas, é aquele que não tem começo nem fim, e não pode ser conhecido através dos esforços intelectuais de uma mente humana que, por mais avançada ou capaz que seja, está sujeita a limitações. Deus, portanto, é uma força que não pode ser analisada ou mensurada, só podendo ser sentida e contemplada através de suas manifestações. Esta força é o que os maçons chamam de Grande Arquiteto, gerador do universo, do homem e da vida em todas as suas formas.

Um movimento anti-maçônico, fundado nos Estados Unidos no século XX e formado quase majoritariamente por fundamentalistas religiosos, tem distorcido continuamente o conceito do Grande Arquiteto do Universo. Este movimento, que já conta com ramificações no Brasil, afirma erroneamente que o G.´.A.´.D.´.U.´. não passa de um ‘deus maçônico’, ou ainda uma divindade que representaria uma suposta união sincrética de ídolos antigos. Os mais radicais acreditam ainda que o G.´.A.´.D.´.U.´. seria uma representação do diabo. Conforme já explicado, nada mais longe da realidade.

Aliás, para ser maçom, o postulante tem de, necessariamente, crer na existência de um ser supremo. Todos os trabalhos maçônicos são dedicados à glória de Deus, e os templos maçônicos conservam abertos em seus rituais o chamado Livro da Lei, que nada mais é que o livro sagrado da religião dos países onde funcionam as lojas maçônicas. No Brasil é a Bíblia que pode ser vista na quase totalidade dos templos, e ao redor do planeta, o livro sagrado muda conforme o caso: para os hebreus, o Talmude ou o Antigo Testamento; para os muçulmanos, o Alcorão; para os adeptos do bramanismo, os Vedas; para os mas deístas ou seguidores de Zaratustra, ou Zoroastro, o Zenda-Avesta etc. O Livro da Lei possui esse nome por conter o código de moral e ética que devemos seguir em nossas vidas. Este nome evita ainda qualquer tipo de sectarismo. A única exigência que se faz é que o volume deve conter, de fato, as sagradas escrituras de uma religião conhecida, e fazer referência ao Ser Supremo, Deus.

É importante colocar que a crença no Grande Arquiteto do Universo é encarada na maçonaria como uma realidade filosófica, e não de modo dogmático. A maçonaria, portanto, não é uma religião, mas abriga em suas fileiras homens de todas as religiões – por reconhecer a importância de cada uma delas, respeitando o conceito íntimo que cada um tem de Deus. Mas a maneira pela qual cada maçom professa a sua crença neste ser supremo é assunto de foro íntimo. Assim, em um templo maçônico poderão ser vistos, lado a lado, católicos, budistas, espíritas e assim por diante, pois a tolerância e o respeito mútuo fazem que praticantes dos mais diferentes cultos estejam unidos em prol da lapidação espiritual, da construção de um mundo justo e da busca pelo bem de toda a humanidade.

Termino este artigo citando o escritor Dan Brown, em carta endereçada aos maçons americanos na época do lançamento de seu livro O Símbolo Perdido, cuja trama envolve a maçonaria: “Em um mundo onde os homens batalham a propósito de qual definição de Deus é a mais acertada, não acho palavras para expressar adequadamente o profundo respeito e admiração que sinto por uma organização na qual homens de crenças diferentes são capazes de ‘partilhar o pão juntos’ num laço de fraternidade, amizade e camaradagem”.

Que o Grande Arquiteto nos ilumine e guarde.
Por Eduardo Neves, M.•.M.•.
Fonte: O Ganso e Agrelha WordPress Universo

REFLEXÃO MAÇÔNICA

IRMÃO COM TRÊS PONTINHOS

A palavra irmão, tal como se encontra no dicionário, significa pessoa que descende de um ou dos dois pais comuns. Essa definição baseada na origem biológica da pessoa, embora bastante simples e precisa, não é suficiente para definir a palavra irmão no sentido mais amplo do termo.

Muitas religiões, notadamente a evangélica no Brasil, utilizam o termo irmão para definir aquele que professa a mesma religião que a sua. Esse sentido deriva da crença de que todos somos filhos de um único Deus e, portanto, a humanidade formaria, segundo esse entendimento, uma grande família sendo todos irmãos. É sem dúvida uma bela e filosófica visão e, talvez, seja um fim a ser alcançado.

Nos Estados Unidos da América, os índios Sioux tinham uma tradição que era a seguinte: todo menino nascido dentre eles, durante os primeiros meses era amamentado por todas as mulheres da tribo, dessa forma ele, ao tornar-se um guerreiro, considerava todas as mulheres da tribo como suas mães, todos os velhos como seus avós, e todos os demais guerreiros eram seus irmãos e, estando em batalha, cada um cuidaria da sua vida e da vida de seus irmãos, sendo esse um sentimento tão forte que jamais um deles seria abandonado no campo de batalha. Se tivessem que morrer, morreriam juntos; irmãos na vida e na morte.

Na Maçonaria temos o costume de nos tratar como irmãos, demonstrando dessa forma o caráter fraternal de nossa organização. Quando um profano recebe a luz em um templo, durante o ritual de iniciação, a primeira coisa que ele vê são seus irmãos armados com espadas, jurando protegê-lo sempre que for preciso.

A partir desse momento, todos o tratam por irmão; os filhos de seus irmãos passam a tratá-lo como tio e as esposas dos irmãos passam a ser suas cunhadas. Forma-se, nesse momento, um elo firme entre o novo membro da ordem e a família maçônica.

É difícil precisar, no entanto, como esse vínculo se cria e se mantém. Por que, ao sermos reconhecidos como Maçons, nosso interlocutor prontamente abre um sorriso amigo e nos abraça, como se já nos conhecesse por e toda a vida? Que força é essa que nos une e faz com que pessoas de diferentes, raças, credos, profissões e classes sociais, tenham um sentimento de irmandade mais forte entre eles, que entre irmãos de sangue? A Maçonaria, que passou por várias fases em sua existência, desde a operativa até as atuais Lojas Simbólicas, foi refinando a maneira pela qual seus membros são escolhidos e convidados para integrar nossas colunas. O possível candidato, sem que o saiba, está sendo observado em seus atos e na forma de conduta na vida profana, e assim, ao ser formalmente convidado, parte de sua avaliação já foi concluída, bastando agora cumprir os regulamentos da respectiva potência maçônica, para levar a cabo o ingresso do novo membro.

Talvez, devido ao fato que todo o Maçom sabe dos rigores dessa seleção, e em que pese o fato de que algumas vezes cometemos erros, iniciando irmãos que nem de longe mereceriam essa honra, nós temos a tendência a confiar em um irmão porque sabemos que ele é livre e de bons costumes. Aquele que, ao apor sua assinatura em uma folha qualquer, acrescentar os três pontinhos deve saber que está dizendo ao mundo: “Sou Livre e de Bons Costumes”. E, como tal, será cobrado em suas ações e atitudes tanto dentro dos templos como no mundo profano.

Creio que muitos irmãos adentram à nossa ordem sem a devida reflexão da responsabilidade que isso lhes impõem. Repetem os juramentos sem entender a verdadeira abrangência de suas palavras, e o fazem por que isso faz parte do ritual, da mesma forma que pessoas que jamais freqüentaram a Igreja, casam-se, juram amor eterno e fidelidade diante do sacerdote sem, no entanto, ter a menor intenção de cumprir esse juramento.

È compreensível que muitos irmãos entrem na Ordem sem o devido conhecimento da mesma, até porque esse conhecimento é pouco divulgado e, muitas vezes, os padrinhos e aqueles que fazem as sindicâncias não esclarecem o profano devidamente sobre as responsabilidades que estará assumindo. O que não é aceitável é que,depois de ingressar e conhecer nossas normas e formas de conduta exigidas, o irmão continue agindo como antes do ingresso, ou seja, ele se transforma naquilo que costumamos chamar de “Profano de Avental”; aquele irmão que, embora imbuído de boas intenções, não permeou seu espírito com os ensinamentos da Maçonaria e, mesmo que permaneça na Ordem por toda a vida, jamais será um Maçom no mais amplo sentido da palavra.

Nossa ordem necessita de irmãos que mantenham entre si aquele sentimento de fraternidade e solidariedade, tal qual os guerreiros Sioux que, mesmo sendo filhos genéticos de pais diferentes, se sintam irmãos, porque participam de algo que é maior que cada um deles individualmente. Nossas Lojas precisam de irmãos de verdade, aqueles que têm orgulho de pertencer a essa instituição e estão dispostos a sacrifícios pessoais em benefício da mesma. Cada um deve lembrar-se sempre que não escolheu a Maçonaria, mas foi por ela escolhido por reunir as condições necessárias para tal. No entanto, se ele escolheu ficar deve ser fiel aos seus juramentos.

Precisamos, portanto, de Irmãos com três pontinhos de verdade.

Fonte: Ir.´.Ávaro Rodriguez Perez Mista Athena

Frase do Pedreiro Livre: “Quem sofre com serenidade sofre pela metade; quem muito se desespera multiplica a dor.” Austregésilo de Ataíde

COMEMORAÇÕES 16 DE FEVEREIRO

16 de fevereiro (domingo), 47º dia de 2014 (318 dias para 2015)
DIA DO REPÓRTER do Repórter
A informação é um bem público e, por isso, deve passar por uma triagem que garanta a sua plena veiculação, atendendo a interesses públicos. Por isso, o repórter deve ser um profissional guiado pela ética e preocupado com a veracidade das notícias que circulam.

O processo de criação de uma reportagem, além de criativo, tem uma técnica que parte do princípio de um público diverso terá contato com tais informações. Dessa maneira, o repórter deve escrever de maneira simples, que se aproxime de uma população inteira, mas que não seja simplista, respeitando as regras gramaticais e semânticas.

O jornalismo nasceu na mídia impressa, mas hoje se estabelece em diversos meios de mídia eletrônica. Portanto, o repórter pode trabalhar tanto no rádio como na televisão e, ultimamente, até mesmo na internet.

Na elaboração de notícias para divulgação, o repórter deve priorizar a atualidade da notícia, assim como divulga-la com objetividade, desvinculando o jornalismo da literatura. A ética do repórter não está ligada somente com a precisão e veracidade da informação, mas também com o respeito à privacidade, intimidade, honra e imagem das pessoas.

Documentos como a Declaração da Unesco sobre os Media (1983) proclamam os princípios essenciais em que assentam a liberdade de imprensa e o direito à informação.

Neles se reconhece que o direito à informação, à livre expressão e à crítica fazem parte das liberdades fundamentais do ser humano; que o direito dos cidadãos à informação precede o conjunto dos deveres e direitos dos jornalistas; que a responsabilidade dos jornalistas para com o público se sobrepõe a qualquer outra responsabilidade, em particular perante os seus empregadores e os poderes públicos, e que a missão de informar comporta limites que os próprios jornalistas devem, espontaneamente, impor a si próprios.
Fonte: UFGNet, CEDI, Soleis

Dia do fim do “Horáiro Brasileiro de Verão” data móvel instituída no Brasil, conforme Decreto Nº 6.558 de 8 de setembro de 2008, para entrar em vigor às 00:00:00 do 3º domingo de fevereiro de cada ano, exceto nos casos em que o Governo brasileiro determine nova data por Decreto, quando os relógios de parte do território brasileiro devem ser novamente atrasados em 60 minutos, para se equipararem à “Hora Legal do Brasil”, finalizando o “Horário de Verão” que havia sido iniciado no 3º domingo de outubro do ano anterior.

Dia do início da Semana Internacional de Paquerar ou “International Flirting Week” comemoração móvel listada em vários calendários dos Estados Unidos da América, que está relacionada com o “Dia Internacional do Amor” [Dia dos Namorados] ou “Valentine’s day” de 14 de fevereiro em vários países do mundo: 3ª semana de fevereiro com início no domingo.

Dia da Instituição Religiosa Perfect Liberty comemorado na cidade brasileira de São Paulo-SP, conforme Lei Nº 12.973 de 22 de março de 2000 e Lei Nº 14485 de 19 de julho de 2007, para marcar a data do início da PL [Perfect Liberty] no Brasil em 16 de fevereiro de 1958, que foi trazida do Japão e começou por se espalhar principalmente entre as colônias japonesas em terras brasileiras, com a missão principal de promover a felicidade para os seus seguidores, muito embora 95% de seus membros dos dias atuais seja de procedência não japonesa.

Dia da Lituânia e dos Lituanos comemorado no Estado brasileiro do Paraná, conforme Lei Nº 16.115 de 22 de maio de 2009, que está relacionada com o “Dia da Independência” ou “Lietuvos Nepriklausomybes Aktas”, para marcar a data em que os 20 membros do Conselho da Lituânia, que então era presidido pelo ativista lituano da independência, Jonas Basanavicius, assinaram uma declaração de 16 de fevereiro de 1918, proclamando a restauração de um Estado independente da Lituânia durante a 1ª Guerra Mundial, apesar das pressões do Império Germânico e da manutenção do domínio alemão no país.

Dia do Repórter comemorado no Estado brasileiro do Espírito Santo, conforme Lei Nº 9.320 de 26 de Outubro de 2009.
Dia do Poder Legislativo comemoração do Estado brasileiro do Maranhão, conforme Lei Nº 9.555 de 16 de fevereiro de 2012, que também é conhecida como “Dia Estadual do Legislativo Maranhense”, para ser festejada por integrantes do Poder Legislativo estadual e Câmaras municipais em sintonia com os cidadãos, com o fim de marcar a data da instalação da Assembleia Legislativa Provincial do Maranhão, ocorrida em 16 de fevereiro de 1835, durante o período do Império do Brasil, quando deverão consistir em essência das celebrações dessa data comemorativa, palestras, seminários e outras formas de encontros coletivos, além da difusão dessa efeméride nos mais amplos veículos de comunicação; e da realização de estudos que visem informar e enaltecer a imagem do Poder Legislativo estadual e das Câmaras municipais maranhenses, sendo que a Assembleia Legislativa e as Câmaras Municipais do Maranhão poderão realizar comemorações conjuntas, agregando instituições públicas e privadas que tenham objetivos vinculados às missões do Poder Legislativo.

Dia Estadual de Luta contra a Poluição Atmosférica comemorado no Estado brasileiro do Espírito Santo, conforme Lei Nº 8.052 de 16 de junho de 2005, para marcar a data da entrada em vigor do “Protocolo de Kyoto ou “Kyoto Protocol” Nº 00 de 11 de dezembro de 1997 da ONU [Organização das Nações Unidas], ocorrida nos países aderentes em 16 de fevereiro de 2005, depois de ratificado por 55 países, graças à adesão da Rússia, representando pelo menos 55% das emissões de gases do efeito estufa ocorridas no ano de 1990 pelos países incluídos no anexo I desse tratado internacional com compromissos mais rígidos para a redução da emissão dos gases que agravam o efeito estufa na Terra, considerados, de acordo com a maioria das investigações científicas, como causa antropogênicas do aquecimento global, mas que não conta com o aval de países grandes emissores de poluição, como é o caso dos Estados Unidos da América, tido como responsável pela emissão de 21% dos gases causadores de “efeito estufa” no planeta Terra.

Fonte: DiasDe

FATOS HISTÓRICOS
• 1267 – Assinada por Afonso III de Portugal e Afonso X de Castela a Convenção de Badajoz, que define as fronteiras divisórias entre os reinos dePortugal e Leão. Garantida, pela Convenção, a soberania portuguesa do Algarve.
• 1630 – Invasão holandesa do Brasil: Tropas holandesas entram em Olinda (PE).
• 1773 – As distinções entre cristãos velhos e cristãos novos são abolidas em Portugal. É igualmente decretada a destruição dos registos cadastrais dos judeus.
• 1808 – Invasões Francesas: França invade a Espanha.
• 1809 – Invasões Francesas: O exército francês tenta nova travessia do Minho, em Caminha, na foz do rio.
• 1813 – Fundação do Condado de Lebanon.
• 1832 – Charles Darwin em sua volta pelo mundo a bordo do HMS Beagle visita os Penedos de São Pedro e São Paulo.
• 1839 – Fundação do Condado de Scott.
• 1843 – Fundação do Condado de Moultrie.
• 1854 – Fundação do Condado de Clay.
• 1856 – Fundação do Condado de Terrell.
• 1862 – Guerra Civil Americana: O general confederado Buckner rende-se.
• 1867
• Abertura da ferrovia São Paulo Railway para o tráfego.
• Inauguração da primeira Estação da Luz, em São Paulo.
• 1878 – Inauguração do Theatro da Paz, em Belém do Pará.
• 1881 – Constituída a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, pertencente às Testemunhas de Jeová.
• 1892 – Emancipação do município brasileiro de Areia Branca.
• 1906 – São apreendidos, em Lisboa, os jornais “A Paródia”, “Novidades” e “O Liberal”, por criticas ao Governo.
• 1908 – O Presidente do Brasil Affonso Penna inaugura um trecho com quatro estações da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil.
• 1918
• Primeira Guerra Mundial: A Lituânia declara a sua indepedência da Rússia e da Alemanha.
• O porto inglês de Dover é bombardeado por um submarino alemão.
• Turcos incendeiam a biblioteca de Bagdá.
• 1923 – A câmara funerária do Faraó Tutancâmon é descoberta no Egito.
• 1936 – A Frente Popular vence as eleições gerais na Espanha, e Manuel Azaña torna-se primeiro-ministro, restaurando a constituição de 1931.
• 1944 – Segunda Guerra Mundial: Uma força norte-americana ataca a ilha de Truck nas Carolinas.
• 1956 – Abolida a pena de morte no Reino Unido.
• 1958
• Uma expedição antártica soviética estabelece a estação Sovetskaya no Pólo Sul.
• O Papa Pio XII eleva a Diocese do Espírito Santo à categoria de arquidiocese, passando a denominar-se Arquidiocese de Vitória.
• 1959 – Fidel Castro torna-se primeiro-ministro de Cuba depois da queda do regime de Fulgencio Batista a 1 de Janeiro.
• 1965 – A sonda espacial Venera chega ao planeta Vénus.
• 1968 – O serviço de emergência dos Estados Unidos, o 911, é inaugurado em Haleyville, Alabama.
• 1977 – A Comissão Internacional de Juristas Católicos denuncia torturas no Brasil.
• 1984 – Manifestações para as eleições diretas para a Presidência da República reúnem 60 mil pessoas em cinco capitais brasileiras.
• 1986 – Mario Soares é o primeiro civil eleito presidente de Portugal.
• 1994 – Um terremoto mata 134 pessoas na Indonésia.
• 1997 – A Espanha entra em alerta por causa de um surto de meningite.
• 2002 – O laboratório Merck & Co anuncia que suas vacinas contra hepatite A não são potentes o suficiente. Mais de 60 mil brasileiros terão que refazer suas vacinas.
• O ex-presidente do Senado Jader Barbalho é preso e solto no mesmo dia diante de um habeas-corpus.
• 2003 – Alpinistas encontram destroços de um avião equatoriano desaparecido em 1976 no Vulcão Chimborazo.
• Incêndio na indústria de produtos químicos Genco, em Guarulhos (SP).
• 2005 – O Protocolo de Quioto entra em vigor nos países que o assinaram.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/16_de_fevereiro

Frase do Dia: Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.
Carlos Drummond de Andrade

Deixe uma resposta