FATOS DESTAQUES, CULTURA, REFLEXÃO MAÇÔNICAS E COMEMORAÇÕES 04 JANEIRO

 
Share Button

FATOS DESTAQUE MAÇÔNICOS DIA 04 DE JANEIRO

1789 – GO de França apela, em , às suas Lojas pelos deveres do cidadão para com a Pátria e dos Maçons para com a Humanidade.

1929 – Nasce Ir.’. Martin Luther King, líder negro americano, redação Terransor dos direitos humanos.

1978 – Destituídos pela Soberana Assembléia Geral do GOB o GM Osmane Vieira de Resende e o GM Adjunto Osiris Teixeira , em recorrem à Justiça comum para sua reintegração.

2013 – O Sereníssimo Grão-Mestre, Respeitab.: Ir.: Jair Tércio acompanhado por sua filha, a também cunhada Maribel Barreto, Presidente da Fraternidade Feminina da GLEB, abriu sua agenda do ano de 2013, no dia 04 de janeiro, participando da Cerimônia de Posse do Grão-Mestre da Mui.: Respeit.: Grande Loja Maçônica do Estado de Pernambuco.
A Cerimônia de Posse aconteceu na cidade de Recife, no Hotel Golden Tulipp Recife Palace, sendo empossado o Sereníssimo Grão-Mestre, Respeitab.: Ir.: Dimas José de Carvalho reeleito e o Eminente Grão-Mestre Adjunto, Respeitab.: Ir.: Janduhy Diniz Cassiano eleito. O Grão-Mestre Dimas fez um discurso fantástico e foi ovacionado por cerca de 300 pessoas.

CULTURA MAÇÔNICA

LE DROIT HUMAIN – ORDEM MAÇÔNICA MISTA INTERNACIONAL

A Ordem Maçónica Mista Internacional “Le Droit Humain” – O Direito Humano normalmente designada como “O Direito Humano” em português, e internacionalmente como “Le Droit Humain” ou Droit Humain é uma ordem maçônica global.

Foi criada nas últimas décadas do século XIX pela vontade de um conjunto de Irmãos e Irmãs visionários, que imbuídos no espírito Humanista pretendiam permitir que homens e mulheres de boa vontade se pudessem aproximar da Iniciação, pelo método maçónico simbólico, de um modo abrangente e sem qualquer distinção dentro dos seres humanos adultos, na condição única de serem livres e de bons costumes, e respeitarem os princípios da Liberdade, Igualdade e Fraternidade para além princípios e valores estabelecidos na Constituição Internacional e nos Regulamentos Gerais, da Ordem Maçônica Mista Internacional – “Le Droit Humain”, sendo estes os dois instrumentos os reguladores normativos das relações entre seres humanos provenientes de todas as culturas que pertencem a esta Ordem internacional e que actualmente se encontra em mais de 60 países do mundo.

O Direito Humano (ou Le Droit Humain) é uma Obediência Maçônica (1) que se constituiu pelo esforço conjunto de Maria Deraismes e Georges Martin (2) bem como outros Homens e Mulheres iniciados, os quais conscientes da necessidade de estabelecer uma Igualdade real entre o Homem e a Mulher, fundaram esta Ordem com o intuito de trabalhar para o desenvolvimento de correctos valores e princípios em Templo Maçónico e que se projetassem na Vida, tal vanguardismo pode ser medido ainda hoje pela postura existente na sociedade mundial, em que o homem e a mulher não têm, de facto, os mesmos direitos e deveres, nem mesmo na maioria dos países em que tal está consignado nas suas Leis.

Maria Adelaide Deraismes
Maria Adelaide Deraismes, nasceu aos 15 dias do mês de agosto de 1828, em Paris, filha de François Deraismes e Anne Soleil, pessoas abastadas, sendo o pai muito dedicado à cultura e conhecedor profundo da obra de Voltaire. Sua irmã, Antoniette-Anne Maria, sete anos mais velha, ajudou na sua educação. Maria Deraismes sempre teve professores particulares e uma preceptora permanente, não tendo freqüentado escolas regulares. Estudou a Bíblia por conta própria, assim como os livros sagrados das religiões orientais. Interessou-se também pelos filósofos ingleses, alemães e franceses do século XVIII e, para poder ler os sábios da Antiguidade no texto original, aprendeu grego e latim. Teve também aulas de pintura com dois pintores famosos, além de aprender música e piano. Quando tinha 24 anos, em 1852, seu pai faleceu.

Ela ficou com a mãe e continuou a estudar e escrever. Escrevia comédias-provérbios que estavam muito em moda em Paris e eram interpretadas nos salões residenciais de pessoas cultas e da alta sociedade. Escreveu peças teatrais e chegou a publicar “O teatro em casa”. Publicava também artigos em jornais famosos, sempre defendendo os direitos da mulher, o que lhe valeu a fama de polêmica e apóstola dos direitos femininos. Tinha Maria 33 anos quando sua mãe faleceu, tendo ela ficado isolada durante meses.

Quatro anos depois, em 1865, sua irmã ficou viúva e voltou para casa. As duas irmãs se entendiam muito bem e tinham uma renda mensal capaz de lhes assegurar uma vida confortável e sem preocupações financeiras, permitindo que Maria se dedicasse às suas atividades intelectuais, abrindo seus salões à elite pensante parisiense. Nesta época, a igreja católica combatia ferozmente a Maçonaria, a ponto de, numa pregação na catedral de Notre-Dame, o padre Loison dizer que os membros da Maçonaria deveriam ser dizimados. A Franco-Maçonaria resolveu então se defender.

Com dificuldade conseguiu autorização dos poderes constituídos para fazer palestras públicas. Estas palestras eram dadas na sede da Maçonaria e eram chamadas palestras filosóficas, sendo que qualquer pessoa poderia assistir, inclusive mulheres. A Maçonaria pediu então o auxílio de Maria Deraismes, que ficou indecisa antes de aceitar fazer a palestra. Como nada acontece por acaso, estando ela ainda por decidir se aceitava ou não fazer a palestra, eis que lê um artigo num jornal arrasando as mulheres “metidas a intelectuais”. Ela ficou tão indignada que resolveu aceitar o desafio e enfrentar esta guerra.

Então, em 20 de março de 1866, no Grande Oriente, portanto dezesseis anos antes de sua iniciação, ela falou sobre “A Moral”, que ela definiu como sendo “A aplicação dos axiomas da Justiça, do Belo e do Bom na vida cotidiana”. Foi um sucesso total reconhecido até por aqueles que foram ouvi-la para poder criticá-la, como um grande jornalista que disse: “Eu confesso que cheguei à conferência de Maria Deraismes pensando encontrar uma velha solteirona metida a intelectual e nula. Minha surpresa foi ver uma jovem mulher, com o rosto pálido, muito distinta, de uma elegância simples, sem timidez ridícula nem arrogância. Desde o começo ela conquistou a platéia. Uma voz com belo timbre e elocução fácil, uma grande pureza de linguagem, alfinetadas bem colocadas sem serem maldosas, além de um grande bom senso e de incrível erudição.”

Continuou Maria a fazer uma série de palestras sempre com salas lotadas e muito polêmicas. Participou do jornal “O Direito da Mulher” e continuou escrevendo artigos. Nesta época, 1866, os salões das irmãs Deraismes mais pareciam uma filial da Loja Maçônica Mars et les Arts, e da redação do Jornal “A Liberdade”, do Irmão Emile Grandin.

Mas, Maria sofria de enfisema e após uma violenta crise foi passar um tempo em casa de seu tio perto de St. Malo. Regressou ä Paris em 1871, voltou a escrever artigos, participou ativamente da “Associação pela Melhoria do Destino das Mulheres”, fez palestras e fez campanha pela obtenção dos direitos civis e políticos das mulheres. Em janeiro de 1875, fez uma palestra tão explosiva que foi chamada pela polícia para que tivesse mais moderação, tendo sido também insultada pela igreja por defender o direito das crianças terem escolas públicas. Em 1879, ela organizou conferências por toda a França.

Existiam, nesta época, 1880, o Grande Oriente e as Grandes Lojas. Doze Lojas azuis, das Grandes Lojas, dissidiaram e formaram a Grande Loja Simbólica Escocesa. Estas Lojas dissidentes eram das mais avançadas socialmente e a elas juntaram-se outras formando um grupo de 36 lojas. Após muitas discussões, como é natural onde há dissidência, a Loja “Les Libres Penseurs”, resolveu mandar para as 36 Lojas o seguinte Convite: “Oriente de Pecq. A Loja Escocesa dos Livres Pensadores celebrará, no dia 14 de janeiro de 1882, sua festa solsticial de inverno por uma sessão solene que será seguida de um banquete familiar. A Ordem do Dia dos trabalhos será a seguinte: INICIAÇÃO AO 1° GRAU MAÇÔNICO de Mademoiselle MARIA DERAISMES”. Esse convite foi assinado pelo Venerável Mestre Houbron e mais seis mestres. Nessa época ele falou: “Com a aprovação da Loja, já é hora de se reconhecer o princípio de igualdade entre homens e mulheres pela ação Maçônica. Sendo assim nós vamos iniciar a Srta. Maria Deraismes, a famosa mulher oradora, escritora e filósofa.”

Neste dia 14 de janeiro de 1882, dia da Iniciação de Maria Deraismes, ela falou: “Eu agradeço à Loja “Les Libres Penseurs”, em Pecq, que hoje me honra aceitando-me entre seus membros. A porta que vocês abriram não se fechará atrás de mim e muitas outras mulheres me seguirão. Hoje vocês são considerados heréticos, porque vocês são reformadores. Uma vez que em todos os lugares estão urgentemente sendo necessárias, vocês não terão que esperar muito para alcançarem o sucesso. A Obediência Masculina, a ortodoxia Franco-Maçom, deve proibir, por algum tempo ainda, a admissão de mulheres nos Templos, além de considerá-las profanas; não deixemos que isto nos preocupe. Trabalharemos ativamente para fazê-los sair de seus caminhos errôneos e, apesar do que eles dizem, trabalharemos e diremos: “Estamos felizes aqui e por fim permaneceremos aqui.”

A cerimônia de Iniciação foi emocionante, pois era a vitória de anos de luta. Falaram na oportunidade o Venerável, a Aprendiz Maria Deraismes e o Irmão Georges Martin, da Grande Loja Simbólica Escocesa. Simultaneamente à Iniciação, a Loja enviou uma carta à Grande Loja Simbólica Escocesa, obediência a qual pertencia, retirando-se da Confederação, tornando-se independente.

Mas, as desavenças continuaram; alguns Irmãos voltaram para a Grande Loja e após cinco meses da Iniciação de Maria Deraismes, a Loja Os Livres Pensadores abateu colunas. Mas a luta continuava, e nos salões das irmãs Deraismes o estudo para uma loja mista continuava. Finalmente, a Loja Jerusalém Escocesa, no dia 8 de maio de 1891, resolveu estudar a possibilidade de construir as Lojas Mistas a partir de um projeto apresentado pelo Irmão Georges Martin.

Em junho de 1892, Maria convocou um grupo de mulheres, altamente qualificadas, para se prepararem para uma possível iniciação dia 4 de março de 1893. Numa segunda reunião, todas as disposições foram tomadas para criar, na mais perfeita regularidade, a primeira Loja com todas as mulheres presentes. No dia 14 de março de 1893 é fundada a Loja, tendo como Venerável Fundadora MARIA DERAISMES e como secretária a Irmã MARIA MARTIN, com mais quatorze Irmãs presentes e duas ausentes que foram iniciadas depois. Após quatro sessões que permitiram que as Irmãs passassem pelos graus de Companheiro e de Mestre, a Franco-Maçonaria Mista “Le Droit Humain” Foi oficialmente fundada no dia 4 de abril de 1893. A Ordem era constituída por quatorze Irmãs, um Irmão no grau de Mestre, Georges Martin e duas Irmãs no grau de Aprendiz.

Maria, já muito doente e com 64 anos, dirigiu nove sessões ritualísticas nesse ano de 1893, depois teve que permanecer de cama, mas lúcida e ativa até o último dia. Na véspera de sua morte, recebeu uma carta de gratidão da Federação dos Movimentos Feministas, informando da reforma do código Civil a favor das mulheres e reconhecendo nela, Maria, uma das artífices desta vitória por sua luta de 20 anos pelos direitos destas mulheres. Suas últimas recomendações, dia 5 de fevereiro de 1894, véspera de sua morte, foram: “Permaneçam unidas! Ajudem-se! Socorram-se! E nunca deixem que se rompa sua cadeia de união. Que o elo que vai se romper não seja causa de fraqueza e, soldando muitos anéis novos, façam crescer a força da corrente. Não esqueçam que a porta do templo deve ficar aberta a nossos Irmãos e Irmãs. A Maçonaria que foi praticada até hoje pertence ao passado. Vocês, minhas Irmãs, praticam a Maçonaria do futuro. Eu lhes deixo o templo inacabado, mas persigam, entre colunas, o Direito da Humanidade.”

Maria Deraismes faleceu no dia seguinte, 6 de fevereiro de 1894, às 2 horas da manhã, com 65 anos, repetindo: “A gente não se cansa de amar, a gente não se cansa de lembrar…”

A Ordem Maçônica Mista Internacional – “Le Droit Humain foi criada nas ultimas décadas do Século XIX pela vontade de um conjunto de Irmãos e Irmãs visionários, que imbuídos no espírito Humanista pretendiam permitir que homens e mulheres em condições iguais, de boa vontade se pudessem aproximar da Iniciação, pelo método maçónico simbólico, de um modo abrangente e sem qualquer distinção e não levando em consideração nacionalidade, religião ou etnia, dentro dos seres humanos adultos, na condição única de serem livres e de bons costumes, e respeitarem os Princípios da Liberdade Igualdade e Fraternidade para além princípios e valores estabelecidos na Constituição Internacional e nos Regulamentos Gerais, da Ordem Maçônica Mista Internacional – “Le Droit Humain”, sendo estes os dois instrumentos os reguladores normativos das relações entre seres humanos provenientes de todas as culturas que pertencem a esta Ordem internacional.

A Ordem fundamenta-se nos ensinamentos antigos das tradições simbólicas maçônicas, utilizando-se do ritual maçónico e do seu simbolismo como sendo as suas ferramentas na procura da verdade. Ao nível individual, a Ordem afirma “promover o progresso dos valores individuais, sem a imposição de dogma, ou de exigência de ideias culturais ou religiosas”. A um nível colectivo esta trabalha “para unir os homens e mulheres que concordam numa espiritualidade humanista, enquanto respeita as diferenças individuais e culturais” de cada indivíduo ou cultura.

A continuidade iniciática tem vários sentidos inferidos, para além do profundo respeito pelas normas de recrutamento e de iniciação, tempo de espera para aumento de salário dos obreiros e capacidade dos mesmos na sua progressão iniciática, o Le Droit Humain, também defende que ninguém que está nos Altos Graus pode-se eximir á responsabilidade de acompanhar os trabalhos nas Lojas Azuis, assim quem está em cima tem por obrigação acompanhar os que há menos tempo estão na Ordem de modo a acompanhá-los de forma sustentada no seu caminho e/ou via iniciática.

A Ordem Maçónica Mista Internacional “Le Droit Humain” detêm a nível universal um Supremo Conselho Universal Misto que gere os graus no Rito Escocês Antigo e Aceito do 4º ao 33º grau, os 3º primeiros Graus são geridos por este Conselho até ao estabelecimento de uma Federação, depois passa para a alçada destas e dos seus órgãos internos a gestão destes três primeiros graus. Como foi referido a Ordem Maçónica Mista Internacional “Le Droit Humain” pratica o Rito Escocês Antigo e Aceito, que está consignado na sua Constituição. No entanto, sobretudo nos países de língua inglesa, é também praticado o Ritual de Emulação estilo Lauderdale, entre outros.

Em contraste com outras Obediências maçônicas que só operam com base numa jurisdição estadual regional ou de âmbito nacional, o Le Droit Humain insere-se no quadro das Ordens globais sendo uma fraternidade universal com:

§ Lojas Pioneiras: São Lojas que preparam o caminho para que haja uma Jurisdição do “Le Droit Humain”. Sendo até ou três Lojas que estão sob alçada do Supremo Conselho Misto Internacional que detém um Conselheiro que se ocupa exclusivamente desse assunto ajudando as Lojas a organizarem-se e a que estas se transformem em Jurisdições.

§ Jurisdições: Três Lojas depois de receberem a autorização do Supremo Conselho Misto Internacional transformam-se em Jurisdição. Estas têm alguma autonomia organizativa, mas o Supremo Conselho Misto Internacional nomeia um Delegado seu, que primeiro será um seu membro com alguma experiência e por esse motivo sem ser da nacionalidade da Jurisdição, mais tarde nomeará um membro com a experiência suficiente desse próprio país. Este Delegado do Supremo Conselho trabalha sob os seus auspicios e é o seu legitimo representante (por esse motivo tem a dignidade equiparada a Grão-Mestre na área geográfica da Jurisdição) agindo com delegação de poderes em muitos assuntos definidos no Regulamento Geral das Jurisdições;

§ Federações: Com mais de cem membros (sendo esse o mínimo mas nunca se aceita com menos cento e cinquenta) e pelo menos cinco lojas uma Jurisdição pode-se transformar numa Federação, esta aprovação é votada nos Conventos Internacionais depois de o Supremo Conselho Misto Internacional nomear um Conselheiro que acompanhará o processo, para além disso há uma série de condições que as Jurisdições têm que cumprir para que haja um parecer positivo desse Conselheiro pois a sustentabilidade a longo prazo da mesma Federação tem que ser assegurada. As Federações têm uma grande autonomia administrativa e detêm para além de um Presidente, um Conselho Federal que a administra e um Convento que elege estes órgãos, bem como autonomia Ritual em muitos aspectos.

A Ordem é administrada executivamente por um Supremo Conselho Internacional Misto que é eleito num Convento Internacional, que é o seu poder legislativo, que se realiza de cinco em cinco anos, este Convento conta com Delegados eleitos pelas Federações, que terão tantos Delegados conforme o número de membros que detenham, tendo cada uma das Jurisdições direito a um Delegado e as Lojas Pioneiras, no seu conjunto, a outro Delegado.

O Convento Internacional elege também o Sereníssimo Grão-mestre e Vice Grão-mestre da Ordem, que serão quem irá presidir ao referido Conselho, de notar que este Grão-mestre é geral para toda a Ordem, não havendo mais nenhum cargo com essa designação no Le Droit Humain.

Nas Convenções Internacionais, tendo sido o último realizado em Julho de 2007, são discutidos assuntos sobre o governo da Ordem (financeiros, apoio a várias organizações não governamentais internacionais de apoio a crianças e órfãos, etc.) bem como alterações há sua Constituição Internacional e aos seus vários Regulamentos Gerais (Regulamento Geral das Federações, Regulamento Geral das Jurisdições, etc.).

As Federações têm um Conselho Internacional anual em que decidem alguns assuntos relativos á sua organização interna, o mesmo se passa com as Jurisdições, embora a cadência do mesmo não seja anual. Para além disso todos os anos uma Federação organiza um encontro internacional temático, em que se discutem assuntos iniciáticos e/ou profanos, os quais são momentos de convívio saudável entre os vários irmãos e irmãs da Ordem.

O poder Judicial é exercido pelas Federações e conforme o que vem previsto nos seus próprios Regulamentos Gerais internos, tanto as Lojas Pioneiras como as Jurisdições e em última estância de recurso (das decisões das Federações) é ao Supremo Conselho que cabe dirimir os conflitos, sendo que a lei aplicável é a do Direito Francês ao abrigo da Constituição Internacional da Associação Le Droit Humain pois esta rege-se pelas Leis francesas de 1901 e pelos Decretos-Lei de 12 de abril de 1939 e de 1 de junho de 1939, sendo que os seus estatutos foram registrados no Ministério do Interior Francês em 22 de agosto de 1978, a autorização foi registrada na “Maire” de Paris em 24 de agosto de 1978 e é mantida atualizada regularmente. A Sede Internacional da Ordem é na Rua Jules Breton, n.º 5 em Paris, França.
Roberto Aguilar M. S. Silva, M.M.
Fonte: Maconaria.Net.

REFLEXÃO

MENSAGEM QUE NOS FAZ REFLETIR SOBRE A SOMA DOS TALENTOS

Muitas pessoas infelizmente não fazem sua parte achando que só sua parte não ajuda. Mas analisem se todos pensarmos assim?

Se a nota dissesse: Não é uma nota que faz uma música. …não haveria sinfonia.

Se a palavra dissesse: Não é uma palavra que pode fazer uma página.

…não haveria livro.

Se a pedra dissesse: Não é uma pedra que pode montar uma parede.

…não haveria casa.

Se a gota dissesse: Não é uma gota que pode fazer um rio. …não haveria oceano.

Se o grão de trigo dissesse: Não é um grão de trigo que pode semear um campo. …não haveria colheita.

Se o homem dissesse: Não é um gesto de amor que pode salvar a humanidade, jamais haveria justiça e paz, dignidade e felicidade na terra dos homens.

Como a sinfonia precisa de cada nota.

Como o livro precisa de cada palavra.

Como o oceano precisa de cada gota de água.

Como a casa precisa de cada pedra.

Como a colheita precisa de cada grão de trigo.

A humanidade inteira precisa de ti, pois onde estiveres, és único e, por tanto, insubstituível.

Autor Michel Quoist

Irmãos!!!

São das pequenas atitudes que se chega a um grande resultado.

Temos que pensar que o mundo e a nossa ordem precisa de nós, que precisamos ter atitudes pensadas, pois elas irão refletir em todo um grupo.

Que possamos sempre pensar que a soma dos talentos é o que gera o resultado esperado.

E aí irmãos vamos fazer nossa parte?

Ir.´. Robson, deputado federal da Loja Fenelon Barbosa.
Fonte: Maçonaria Capixaba

FRASE DO PEDREIRO LIVRE: O conhecimento, para ser o que deve ser, não se limita a uma simples teoria, mas comporta em si mesmo a realização correspondente. René Guénon

COMEMORAÇÕES NACIONAIS E MUNDIAIS 04 JANEIRO

04 de janeiro (sábado), 4º dia de 2014 (361 dias para 2015).

DIA DA ABREUGRAFIA

04 JANEIRO - DIA DA ABREUGRAFIA O dia 4 de janeiro, dia do nascimento de Manoel Dias de Abreu, foi instituído como o dia nacional da abreugrafia em homenagem ao saudoso médico radiologista, nascido no ano de 1892 em São Paulo. O criador do exame (daí o termo abreugrafia) tornou-se mundialmente conhecido após o desenvolvimento do método diagnóstico e pela sua constante luta contra tuberculose.

Manoel de Abreu formou-se aos 21 anos pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1913. Em 1915 mudou-se para Paris onde frequentou os hospitais Nouvel Hôpital de la Pitié, o laboratório central de Radiologia do Hôtel-Dieu e o Hospital Laennec. Publicou diversos livros, entre eles o Radiodiagnostic dans la tuberculose pleuro-pulmonaire e diversos artigos sobre a abreugrafia em periódicos nacionais e internacionais como Collective Fluorography no Radiology e Processus and Apparatus for Roentgenphotography no The American Journal of Roentgenology and Radium Therapy (AJR), ambos em 1939. Em reconhecimento ao seu trabalho, o ilustre radiologista recebeu diversas homenagens das principais entidades médicas como a medalha de ouro médico do ano) do American College of Chest Physicians (1950), o diploma de honra da Academy of Tuberculosis Physicians (1950) e a medalha de Ouro do Colégio Interamericano de Radiologia (1958). Além disso, recebeu o título de membro honorário da Sociedade Alemã de Radiologia (1940) e do American College of Radiology (1945). Morreu vítima de câncer de pulmão em 1962, aos 70 anos.

O alto índice de mortalidade por tuberculose nas décadas de 30 e 40, principalmente no Rio de Janeiro, e a ineficácia dos instrumentos utilizados pelas autoridades sanitárias para combater a doença propiciaram o aparecimento da abreugrafia. O primeiro aparelho destinado a realizar exames em massa da população foi construído pela Casa Lohner e instalado na cidade do Rio de Janeiro em 1937. O método era muito sensível, com especificidade razoável, de baixo custo operacional e permitia a realização de um grande número de exames em um curto espaço de tempo. O exame tinha por princípio a fotografia do écran ou tela fluorescente. A documentação era feita através de filme comum de 35 mm ou 70 mm. Abreu sempre recomendou o filme de 35 mm, que embora de menor custo, exigia o uso de lentes de aumento especiais para a interpretação do exame.

Roentgenfotografia foi o nome escolhido por Abreu na apresentação da nova técnica à Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro em julho de 1936. Poucos anos mais tarde, em 1939, no I Congresso Nacional de Tuberculose, no Rio de Janeiro, a designação abreugrafia foi aceita por unanimidade. O exame foi utilizado no rastreamento da tuberculose e doenças ocupacionais pulmonares, difundindo-se rapidamente pelo mundo graças ao baixo custo operacional e alta eficiência técnica. Unidades móveis foram desenvolvidas e utilizadas em todo mundo. Fora da América do Sul, a denominação do exame era variável: Mass radiography, miniature chest radiograph (Inglaterra e Estados Unidos), Roentgenfluorografia (Alemanha), Radiofotografia (França), Schermografia (Itália), fotorradioscopia (Espanha) e fotofluorografia (Suécia). Tal era a aprovação e o entusiasmo pelo método na época que somente na Alemanha, até o ano de 1938, o número de exames realizados pelo professor Holfelder já ultrapassava a 500 mil. A importância de sua obra também levou à criação da Sociedade Brasileira de Abreugrafia em 1957 e à publicação da Revista Brasileira de Abreugrafia.

Nas últimas décadas, a manutenção precária dos equipamentos brasileiros (o que facilitava o excesso de exposição a radiação ionizante) e as diretrizes de proteção radiológica cada vez mais rigorosas, acabaram limitando a utilização do método nos diversos países. A radiologia brasileira, entretanto, já havia dado uma importante contribuição para a medicina mundial.

Fonte: Portal São Francisco

DIA DO HEMOFÍLICO

Você conhece a hemofilia?

É um tipo de doença genético-hereditária que é caracterizada pela desordem no mecanismo de coagulação do sangue que acomete em grande parte o sexo masculino. O gene que causa a hemofilia é transmitido pelo par de cromossomos sexuais XX. O fato é que as mulheres não desenvolvem a doença em si, porém podem ser portadoras do defeito, e dessa forma é no filho do sexo masculino é que pode manifestar a doença.

Essa enfermidade é percebida por sintomas claros?

Sim, sangramento excessivo, dor forte, aumento da temperatura corporal e restrição dos movimentos, principalmente joelho, tornozelo e cotovelo. Esses sangramentos que ocorrem, geralmente aparecem em forma de manchas roxas devido a pequenas batidas ainda quando bebê ou criança.
É por isso que no dia 04 de Janeiro comemoramos O Dia do Hemofílico, que além de apoiar as pessoas que possuem a doença, serve como alerta para as pessoas e principalmente para os pais, visando assim que estejam conscientes e atentos aos sintomas, evitando que a doença se desenvolva cada vez mais.

A qualquer Sinal ou Sintoma procure um Hematologista!

Graciele Borges – Técnica de Enfermagem
Cecília Nishida – Coordenadora Assistencial
Fonte: Portal da Saúde – Ministério da Saúde

DIA DA CRIAÇÃO DA PRIMEIRA TIPOGRAFIA NO BRASIL Aprendemos com a nossa História que o ano de 1808 trouxe para o Brasil novos hábitos. Com a vinda de D. João VI e a família Real Portuguesa, houve grande mobilização na colônia para abrigar a corte portuguesa. O Rio de Janeiro, àquela época com um pouco mais de 50 mil habitantes, precisava abrigar os 15 mil que se transferiam e acabou sofrendo uma espécie de “europeização” para tornar-se a capital do império. Uma espécie de revolução cultural aconteceu.

É de 1808 o alvará que pôs em funcionamento o Banco do Brasil – é que a monarquia ia precisar movimentar recursos para se manter. Os portos brasileiros foram abertos, surgiu a Biblioteca Real (futura Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro), foram criadas a Escola de Ciências Artes e Ofícios (futura Escola Nacional de Belas Artes) e a Academia Militar, entre outras novidades.

Até 1808, fábricas eram proibidas na colônia. D. João assinou o alvará permitindo que fábricas pudessem funcionar. Foi então fundada, no Rio de Janeiro, a “Imprensa Régia”.

Nesse momento a informação começaria a circular, a princípio nas mãos da corte. Logo viria o primeiro jornal, “A Gazeta do Rio de Janeiro”, divulgando toda a informação oficial.
Oficialmente, essa é a data da instalação da primeira tipografia no Brasil.

NO INÍCIO, A CLANDESTINIDADE O registro do aparecimento da tipografia no Brasil é pouco preciso, talvez por causa da proibição que vigorava. A proibição dessa atividade estava ligada à própria repressão da manifestação livre do pensamento, reinante naquela época. Imprimir qualquer texto constituía-se num delito grave.

O primeiro produto gráfico a circular no Brasil, o Correio Braziliense, era impresso em Londres e entrava clandestinamente no Brasil. Ele circularia até 1822, completando 175 edições.

Registros históricos falam de um opúsculo (uma pequena obra, quase um folheto), intitulado Brasilche Gelt-Sack, que teria sido impresso em Recife, em 1634. E também de alguém de nome Antonio Isidoro da Fonseca, que, em 1746, teria inaugurado uma tipografia no Rio de Janeiro, depois fechada pela Carta Régia que proibiu a impressão de livros ou de papéis avulsos na colônia. Ele teria voltado para Portugal juntamente com todo o seu material apreendido, e, posteriormente, em 1750, tentou voltar a abrir a sua tipografia, no Rio de Janeiro.

O QUE É Tipografia Duas novidades de origem chinesa revolucionaram a história da impressão: o papel e a xilogravura (e também xilografia), a fase de impressão anterior à tipografia que consiste em imprimir imagens e textos por meio de pranchas de madeira gravadas em relevo. Seu emprego na Europa começou no século XV, com a ilustração de cartas de baralho e manuscritos de origem religiosa.

A tipografia veio logo a seguir, também usando o mesmo método de impressão em relevo. Enquanto na xilotipia, os caracteres ficam presos ao bloco de madeira (como num carimbo fixo), na tipografia as letras são soltas, podem ser trocadas e reutilizadas à vontade.

A tipografia foi rapidamente difundida, pois trouxe mais velocidade na reprodução. Ao acabarem com a fase de impressão de manuscritos, esses primeiros tipógrafos foram também os primeiros editores, pois encontraram elementos e soluções para facilitar a leitura como tamanhos de linhas, letras, paginação, que vieram a ser padronizados posteriormente.Primeira gráfica oficial era estatal

Vários autores registram que, mesmo existindo os equipamentos, depois da criação da Imprensa Régia, em 1808, somente o governo tinha autorização para imprimir.

A Imprensa Régia começou a funcionar utilizando dois prelos (as prensas, a parte que faz pressão para imprimir) e 28 caixotes de tipos, apenas para imprimir as publicações reais. A primeira publicação oficial impressa, a Gazeta do Rio de Janeiro, falava sobre a vida administrativa e sobre a movimentação do Reino. Era submetida à censura do palácio e dirigida por um funcionário do Ministério das Relações Exteriores, Frei Tibúrcio da Rocha. Somente bem mais tarde, particulares obtiveram licença para que suas oficinas gráficas começassem a funcionar, com a criação da Régia Oficina Tipográfica, em 1821.

A primeira publicação produzida pela iniciativa privada de circulação no país de que se tem notícia foi A Idade d’Ouro do Brasil, publicada em 1821 pela tipografia de Manuel Antonio da Silva Serva, na Bahia. Quando D. João VI deixou o Brasil, em 1821, começou a ser elaborado o documento que traria a liberdade de imprensa, quando um decreto seu acabava com a censura sobre textos originais, mas ela ainda continuava a existir sobre as provas impressas.

Foi D. Pedro I quem introduziu no Brasil a liberdade de imprensa, a partir da primeira lei de imprensa portuguesa. Em 28 de agosto de 1821 expressou num aviso: “que não embarace por pretexto algum a impressão que se quiser fazer de qualquer texto escrito”.
Fonte: Portal São Francisco

Dia da Abreugrafia comemorado no Brasil, conforme Decreto Nº 42.984 de 3 de janeiro de 1958, para marcar a data do nascimento do médico brasileiro, Manuel Dias de Abreu, que veio ao mundo em 4 de janeiro de 1894, e que foi o responsável pelo desenvolvimento do método de diagnóstico da tuberculose que ficou conhecido no Brasil como “Abreugrafia” [caracterizado por ser um método rápido e barato de se tirar pequenas radiografias dos pulmões], além de ele haver lecionado Radiologia em inúmeras instituições científicas do Brasil e exterior e de ter sido membro das mais importantes organizações médicas do mundo em seu tempo.

Dia da Emancipação comemorado no Estado brasileiro de Rondônia, para marcar a data da instalação do estado rondonense, que se deu em 4 de janeiro de 1982, cuja celebração foi temporariamente extinta e transferida para 22 de dezembro pela Lei Nº 14.765 de 3 de dezembro de 2009, mas restabelecida para 4 de janeiro pela Lei Nº 2.291 de 22 de abril de 2010.

Dia da Pessoa com Deficiência Visual comemorado no Estado brasileiro do Rio Grande do Norte, conforme Lei Nº 9.421 de 8 de dezembro de 2010, para marcar a data do nascimento do professor e músico francês, Louis Braille, que veio ao mundo em 4 de janeiro de 1809 e que foi o criador do sistema de escrita/leitura em relevo para cegos, chamado “Braille” em sua homenagem.

Dia de Casimiro de Abreu comemorado por brasileiros, para marcar a data do nascimento do poeta brasileiro da 2ª geração romântica, Casimiro José Marques de de Timo Abreu, que veio ao mundo em 4 de janeiro de 1839, e que tornou-se um dos poetas mais populares do Romantismo no Brasil, enquanto pessoa de linguagem simples, Espontânea e ingênua, muito embora seu sucesso literário tenha acontecido de fato somente depois de sua morte por conta da tuberculose aos 21 anos de idade, com numerosas edições de seus poemas, tanto no Brasil, quanto em Portugal.

Dia do Clube de Futebol Profissional comemorado no Estado brasileiro do Mato Grosso, conforme Lei Nº 7.778 de 26 de novembro de 2002, para marcar a data da fundação do Clube Esportivo Dom Bosco, que foi criado em 4 de janeiro de 1925 e que é tido como o time mais antigo do estado mato-grossense.

Dia do Hemofílico comemorado extraoficialmente no Brasil, para marcar a data da morte do cartunista brasileiro, Henrique de Sousa Filho [o “Henfil”], que faleceu em 4 de janeiro de 1988, enquanto vítima de Aids, atós ele ter sido contaminado numa das muitas transfusões de sangue que ele teve de fazer para minorar os sintomas da Hemofilia, uma anomalia caracterizada pela ausência ou acentuada carência de Fator VIII no Sangue, que é um dos fatores de coagulação sangüínea.

Dia do periélio ou perélio da Terra Comemoração móvel, relativa ao ponto da órbita de um corpo, seja ele planeta, planetóide, asteróide ou cometa, que está mais próximo do sol, ocasião em que a Terra tem a maior velocidade de translação de toda a sua órbita e dista aproximadamente 147.098.074 quilômetros do “Astro Rei”: 14 dias depois do Solstício de dezembro [Verão no Sul e Inverno no Norte].

Dia do Policial Militar da Reserva comemorado no Estado brasileiro do Ceará, conforme Lei Nº 13.907 de 21 de junho de 2007, para marcar a data da adoção do atual nome da “Polícia Militar do Estado do Ceará”, ocorrida em 4 de janeiro de 1947, depois de ter recebido outras 13 denominações: “Força Policial” a partir de 24 de maio de 1835; “Corpo de Segurança Pública” a partir de 31 de dezembro de 1889; “Batalhão de Segurança” a partir de 1 de março de 1892; “Batalhão de Segurança” a partir de 12 de março de 1899; “Batalhão Militar” a partir de 12 de março de 1913; “Regimento Militar do Estado” a partir de 28 de dezembro de 1914; “Força Pública Militar” a partir de 5 de dezembro de 1921; “Regimento Policial” a partir de 28 de outubro de 1924; “Força Pública do Estado” a partir de 4 de novembro de 1929; “Corpo de Segurança Pública” a partir de 15 de abril de 1932; “Força Pública do Ceará” a partir de 28 de dezembro de 1934; “Polícia Militar do Ceará” a partir de 24 de dezembro de 1937; e “Força Policial do Ceará” a partir de 16 de dezembro de 1939;.

Dia do Torcedor Dombosquino comemorado no Estado brasileiro do Mato Grosso, conforme Lei Nº 7.910 de 11 de junho de 2003,para marcar a data da fundação do Clube Esportivo Dom Bosco, que foi criado em 4 de janeiro de 1925 e que é tido como o time mais antigo do estado mato-grossense, realizando o “Clássico do Vovô”, quando enfrenta o Mixto Esporte Clube, que é tido como o 2º time mais antigo do Estado, além de dono da maior torcida.

Dia dos Servidores do Sistema Penitenciário do Estado comemorado no Estado brasileiro de São Paulo, conforme Lei Nº 13.135 de 15 de julho de 2008.

Dia Estadual dos Servidores do Sistema Penitenciário comemorado no Estado brasileiro de Goiás, conforme Lei Nº 16.485 de 10 de fevereiro de 2009.

Dia Mundial do Braille ou “World Braille Day” comemoração instituída para marcar a data do nascimento do professor e músico francês, Louis Braille, que veio ao mundo em 4 de janeiro de 1809 e que foi o criador do sistema de escrita/leitura em relevo para cegos, chamado “Braille” em sua homenagem.

Dia Mundial do Hipnotismo ou “World Hypnotism Day” comemorado desde 2005 e idealizado pelo hipnoterapeuta norte-americano, Tom Nicoli, com vários eventos pelo mundo, objetivando promover a terapia pela Hipnose.
Fonte:DiasDe

OUTROS ACONTECIMENTOS DESTAQUES 04 DE JANEIRO

Em 04 de janeiro de 1950, inicia a divulgação comercial do disco de vinil, mais conhecido como LP, pela RCA Victor. Atualmente, eles são encontrados e vendidos como relíquias. Mesmo assim, os DJ´s usam e abusam dos vinis, pois facilitam nas mixagens musicais em festas.
1913 – Primeira transmissão telefônica sem fio entre Nova York e Berlim.
1931 – Um terremoto destrói a cidade de Oaxaca, no México. Entra também em erupção o vulcão Popocatépetl.
1943 – Finalização das obras do Pentágono, sede do Departamento de Redação Terrasa do Estados Unidos, em Washington, o maior prédio de escritórios do mundo.
1944 – A cidade argentina de San Juan é destruída por um abalo sísmico.
1950 – A empresa RCA Victor declara que começaria a produzir discos de longa duração, os LP´s de vinil.
1954 – Com a intenção de dar um presente à sua mãe, Elvis Presley paga US$ 4,00 para gravar seu primeiro disco. O produtor musical e dono do estúdio, Sam Phillips, gostou do que ouviu e um ano depois fazem juntos algumas gravações comerciais.
1956 – O pintor Cândido Portinari entrega os painéis de Guerra e Paz para a sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York.
1958 – Retorna à Terra o Sputnik I, primeiro satélite artifical lançado pela União Soviética, em outubro do ano anterior.
1988 – O cartunista Henfil morre vítima de AIDS. Hemofílico, ele foi contaminado numa transfusão de sangue.
2010 – Burj Dubai, o edifício mais alto feito pelo homem, é inaugurado.

FRASE DO DIA: Abreugrafia é o nome dado no Brasil a um método rápido e barato de tirar pequenas chapas radiográficas dos pulmões, para facilitar o diagnóstico da tuberculose, doença mortal. O teste, que registra a imagem do tórax numa tela de raios X, espalhou-se pelo mundo.


Deixe uma resposta