Seja um colaborador do Brasil Maçom

Prisão por divulgar documentos Maçónicos secretos em França

Um homem de 48 anos foi condenado a 12 meses de prisão, dos quais oito foram suspensos. A condenação deveu-se a ter registrado, retido e revelado milhares de documentos confidenciais pertencentes ao Grande Oriente de França e à Grande Loja de França.

Em Abril de 2016, Laurent G. disponibilizou numa página de conspiração “stopmensonges[dot]com” mais de 6.000 arquivos que continham, entre outras coisas; os nomes, endereços e números de telefone dos membros da Grande Loja de França, tendo reincidido novamente em Novembro com mais de 34.000 arquivos pertencentes ao Grande Oriente de França.

O acusado admitiu ter partilhado estes documentos resultantes de intrusão em servidores destas Lojas (hacking), que negou ter cometido, dizendo que estava “revoltado” com a “dupla fidelidade” a que, segundo ele, magistrados franceses membros da Maçonaria estavam sujeitos.

Acusação e sentença

O procurador referiu-se a factos “simples, e especialmente reconhecidos pelo criador e administrador do website“, antes de acrescentar: “Não estamos perante um jornalista ou denunciante, ele não organiza e publica estes documentos sem verificação. Os factos são extremamente sérios o que ele nem sequer percebe”.

O indivíduo de 48 anos, que foi preso em Roissy em 2018 depois de ser objecto de um mandado para trazê-lo aos Estados Unidos, onde habitava na época do incidente, afastou-se dos procedimentos, falando por mais de três horas na ausência de advogado. Ele publicou estas listas sob o nome de “Documentos da Maçonaria” em referência ao escândalo dos Documentos do Panamá que rebentou em 2016. Durante as sua alocução, citou repetidamente os nomes dos denunciantes Edward Snowden e Julian Assange na tentativa de justificar as suas acções.

Jean-Pierre Cahen, o advogado do Grande Oriente de França, apoiou-se durante a sua argumentação no exemplo recente de Samuel Paty, o professor que foi assassinado depois de o seu nome e detalhes de contacto terem sido divulgados nas redes sociais. “Você pode incitar ao ódio distribuindo esses documentos, e alguns podem agir”; disse ele na frente de um réu que permaneceu com os olhos fechados durante a maioria das alegações e da acusação.

Além da pena de prisão, foi também condenado a pagar 7.000 euros ao Grande Oriente de França. O tribunal decidiu finalmente que a sua decisão seja publicada durante um mês nos webites dos jornais Liberation, Le Monde e Le Figaro, a custos do réu sob sua responsabilidade.

Tradução de António Jorge

Fontes

  • Grande Loja de Espanha
  • Le Figaro

FREEMASON.PT – https://www.freemason.pt/prisao-por-divulgar-documentos-maconicos-secretos-em-franca/

Você pode gostar...

Deixe uma resposta