REFLEXÃO DO DIA

O desejo de possuir, embora tenha um lado bom, tem também um lado pernicioso e preocupante: a ambição desmedida.

As pessoas de muitas posses, quase sempre, querem ter mais e mais. Elas, muitas vezes, esquecem que o lado bom da riqueza, o que verdadeiramente alegra, aparece quando a utilizamos para fazer também boas obras e ajudar ao nosso próximo.

Uma riqueza alcançada honestamente é motivo de prazer e de realização, mas deve servir também à sociedade. Acertadamente, disse um Papa: “sobre toda riqueza pesa uma hipoteca social”.

E, para que querermos ter sempre mais? Nos controlemos, para que não nos tornemos ambiciosos e avarentos. Quantas vezes, podemos passar sem isso ou aquilo, pois, sabemos bem que nem tudo que desejamos é necessário.

Sabemos também que as nossas necessidades são elásticas e variam segundo a nossa vontade. Se as entendemos importantes demais, espicham-se, se tornam exigentes e imperiosas; se as ignoramos, encolhem-se e até desaparecem.

Para que a ânsia da riqueza não nos domine, imaginemos que ela não é tão necessária a ponto de perturbar a nossa felicidade. Quanto mais acharmos que precisamos, mais pobres nos sentiremos.

Nesta quarta-feira, busquemos fortalecer em nós um conceito que é, sem duvida, muito forte: o “SER” traz muito mais felicidade do que o “TER”. O segredo é harmonizar as duas coisas. Tentemos sempre! Vale a pena!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta