AUMENTO DE SALÁRIO

No fim de semana passado embarquei para o Uruguai a passeio. Mas, como bom mineiro, conhecedor e praticante do ditado “enquanto descansa carrega pedra”, acabei por fazer uma boa garimpagem.

 

No livro “Código Masónico para las OOfic.’. del Cir.’.del Gr.’. Or.’. del Uruguay”, datado de 1864, no segundo direito dos Obreiros há uma passagem muito interessante:

 

“2 ° Aumento de salario correspondiente á sus talentos y virtudes y á los servicios hechos á la Mason :. y á la Humanidad en general.”

 

Diante desta perspectiva, o aumento de salário/mudança de grau não é uma conquista e sim um reconhecimento. Não há de se pensar que vivemos em épocas diferentes, pois os valores e missão são os mesmos há centenas de anos, indiferente de ritos e línguas.

 

Atualmente implantamos nos labores maçônicos que o Aprendiz e o Companheiro pedem aumento de salário, apesar de ser prerrogativa dos Vigilantes este pedido ao Venerável Mestre. Infelizmente, o fazem baseados apenas em três pontos: que tenha recebido as instruções, que tenha determinada frequência mínima e que tenha apresentação de trabalho.

 

Certamente haverá os que se posicionam em defesa desta tese, mas é necessário reconhecer que estes são requisitos mínimos apresentados por algumas Potências. A Loja é quem deve formatar a condição necessária para a boa qualificação do Obreiro.

 

Primeiro ponto: Instrução não é o que foi dito, mas o comportamento de quem ouviu e o pratica.

 

Segundo ponto: Frequência não é estar em Loja; é se fazer presente junto aos Irmãos.

 

Terceiro ponto: Trabalhos feitos em papel, caneta ou computador mostram apenas o que se sabe, não o que se faz e se fez.

 

Devemos observar a habilidade natural dos Irmãos em serem fraternos, dispostos, participativos de maneira natural (Talento).

 

Observemos suas qualidades morais, sua inclinação e prática constantes para o caminho do bem (Virtude).

 

Vejamos se ele gosta de cargo ou encargo, se seu avental está liso como novo ou desgastado pelo carregar de pedras (Serviço a Maçonaria).

 

É um bom pai ou apenas faz doações a creches; trata seus pais com amor e respeito ou acredita que os residentes em asilos precisam apenas de roupas quentes e fraldas?

 

Como tornar feliz a humanidade? Pelo aperfeiçoamento dos costumes!

 

O que chamamos de humanidade vai além das pessoas; são as características e as relações humanas, são nossos sentimentos para com o outro reconhecendo nele um pouco de nós.

 

SOMENTE PELO EXERCÍCIO NATURAL DO QUE APRENDEMOS E PELO FAZER PARA O BEM DO OUTRO É QUE, REALMENTE, ALCANÇAREMOS OUTRO GRAU DE EVOLUÇÃO E PELO OUTRO SEREMOS RECONHECIDOS E TRATADOS COMO DEVEMOS SER.

 

Atingimos quinze anos de compartilhamento de instruções maçônicas. Nosso propósito fundamental é incentivar os Irmãos ao estudo, à reflexão e tornar-se um elemento de atuação, um legítimo Construtor Social.

 

Sinto muito, me perdoe, sou grato, te amo. Vamos em Frente!

 

Fraternalmente

Sérgio Quirino

Grão-Mestre – GLMMG 2021/2024

Brasil Maçom
Brasil Maçom
Artigos: 100

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra mais sobre Brasil Maçom

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading