FILHO DA VIÚVA


Várias explicações e versões foram propostas para explicar o significado desse termo antiquíssimo.
Tudo começa com a Bíblia ao identificar Hiram Abif, o Arquiteto do Templo de Salomão, como sendo um “filho da viúva”.
Em I Reis (7:14), ele é apresentado como “filho de uma viúva da tribo de Neftali e fora seu pai um homem de Tiro”.
Já em II Crônicas (2:14) ele é mencionado como sendo “filho duma mulher das filhas de Dã, e cujo pai foi homem de Tiro”.
Portanto, embora os textos bíblicos divirjam quanto a tribo de sua mãe, são concordes em que ele era um “filho de uma viúva”. Em I Reis é assim apresentado e em II Crónicas está implícito com a utilização do verbo no passado (“foi homem …”).

Não obstante todas as versões serem concordes em apontar os “filhos da viúva” como sendo o nome alegórico dos Maçons, há divergências quanto a quem seria a “viúva”. Recolhemos algumas explicações:

  • Joaquim Gervásio de Figueiredo in Dicionário de Maçonaria diz que para alguns estudiosos, essa frase significa “Iniciado nos Mistérios Menores”, ao passo que “Filhos da Virgem” corresponde a “Iniciado nos Mistérios Maiores”.
  • Lorenzo Frau Abrines & Rosendo Arus Arderiu in Diccionario Enciclopaédico de la Masonería, afirmam que a viúva seria a terra, mãe e fossa comum de toda a Humanidade.
  • Persigout in Annales Maçonniques Universelles, infere que a viúva seria a Natureza, sempre virgem e fecunda.
  • Jules Boucher in A Simbólica Maçônica, deduz que a palavra viúva vem do latim vidua, que significa, com sentido de espaço, vazio, privado de. Assim, a expressão filhos da viúva significaria filhos do espaço e, como o espaço é símbolo de líberdade, os Maçons seriam os filhos da liberdade. Boucher desenvolve também o complicado raciocínio de que como a viúva caracteriza-se com um véu negro, que simboliza as trevas, também inerentes ao espaço, os Maçons são, ao mesmo tempo, os filhos da viúva e os filhos da luz. Eles são filhos do mundo das trevas, mas, no seio do mundo, manifestam-se como filhos da luz.
  • Guillemain de Saint-Victor in Recueil Précieux, afirma que a viúva é a mãe de Hiram Abiff, que foi cuidada pelos Maçons depois que seu filho foi assassinado por três maus Companheiros.

A interpretação de que a viúva seria a própria Maçonaria é comum a vários autores:

  • Para os que apontam a origem da Maçonaria na Ordem dos Templários, a viúva seria a própria Maçonaria, desde quando Jacques de Molay, Grão-Mestre da Ordem, foi morto pela Inquisição.
  • Plantageneta in Causeries en Chambre du Milieu, diz que todos os Maçons – filhos do mesmo pai, Hiram Abiff – ficaram solidários na defesa comum de sua viúva, a Franco-Maçonaria.
  • Alec Mellor in Dicionário da Franco-Maçonaria e dos Franco-Maçons, afirma que, segundo a Bíblia, Hiram Abiff foi apresentado a Salomão como filho de uma viúva da tribo de Neftali (I Reis 7:14). Com a morte de Hiram Abiff, a Maçonaria ficou viúva e os Maçons passaram a ser os “filhos da viúva”.

Mas há aqueles que vão mais longe, aos antigos Mistérios egípcios:

  • Gédalge in Dictionnaire Rhéa após afirmar que a expressão “filhos da viúva” se refere aos Maçons em memória da viúva que foi mãe do arquiteto Hiram, completa afirmando que Ísis, a “grande viúva” de Osíris, procurando os membros esparsos de seu esposo, é igualmente encarada como a mãe de todos os Maçons, os quais, a seu exemplo, procuram o corpo de seu Mestre Hiram Abiff.
  • Oswald Wirth in Le Livre du Maître, conta que a viúva é Ísis, personificação da Natureza, a mãe universal, mãe de Osíris, o deus invisível que ilumina as inteligências.
  • Nicola Aslan expõe, in Grande Dicionário Enciclopédico de Maçonaria e Simbologia, que muitos autores interpretam que Ísis, símbolo da terra, é a “grande viúva” de Osíris, símbolo do Sol, que a fecunda e da qual somos todos filhos. Como a Loja, onde se reúnem os Maçons, tem o significado de mundo, por extensão, os Maçons são os filhos do universo, por serem todos uma de suas partículas.

Como uma síntese de todas as versões que relacionamos, Ragon in Ritual do Grau de Mestre, afirma que Hiram Abif representa Osíris, o Sol, a Luz; sua viúva Ísis é a Terra, a Natureza, a Loja; e seu filho Órus é o Homem, o Maçom. Assim, os Maçons moram na “Loja Terrestre” e são os “filhos da viúva”, os “filhos da natureza”, os “filhos da luz”.

Excertos do livro Maçonaria para Maçons, Simpatizantes, Curiosos e Detratores
Irm.’. Almir Sant’Anna Cruz

Brasil Maçom
Brasil Maçom
Artigos: 100

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra mais sobre Brasil Maçom

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading